terça-feira, 20 de outubro de 2009

A 1ª Aula de Ginástica!

Hoje foi um dia diferente para dois utentes do CSC!


Apesar da chuva intensa que insiste em cair pelas terras de Campia, não deixaram de marcar presença na aula de ginástica promovida pela Câmara Municipal de Vouzela, no Clube Desportivo de Campia.
O contacto e acompanhamento diários dos utentes do CSC são oportunidades por definição para a detecção de problemas, dificuldades, circunstâncias que desenham a realidade do utente, mas também de possíveis soluções e caminhos para a melhoria significativa da qualidade de vida daqueles.
Neste aspecto, o fundamental será mesmo não tomar os nossos pressupostos como certos, mas antes ouvir activa e efectivamente quais são os pontos de partida do utente. Não basta que a técnica vaticine a necessidade da prática de exercício, é preciso que essa necessidade seja sentida e percebida pelo utente. Tentar perceber o ‘como’ e o ‘porquê’ de cada um, e só a partir daí construir um ‘para onde’ consensual e mais forte.
Uma decisão, sabemo-lo, ganha mais força nos seus contornos práticos, se for esculpida, sentida e apresentada como nossa. E porque veio destes dois utentes a iniciativa de integrar o grupo de ginástica formado em Campia, ao CSC coube o humilde mas orgulhoso papel de intermediário entre os utentes e a autarquia, entidade promotora das actividades mencionadas.

Rodando anca, braços, pernas e pés, vão-se chutando para longe aqueles anos que o corpo sente mas que a mente não consente!

video

video

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

A CONSTRUÇÃO DO LAR DE IDOSOS E CRECHE




Início das Obras

Com a aprovação da candidatura apresentada ao Programa PARES-2, o Centro Social de Campia viu assim viabilizada a construção da sua sede, que comportará um Lar para 19 idosos, uma Creche para 33 crianças e o Serviço de Apoio Domiciliário para 30 utentes, já a funcionar desde 2003 em instalações provisórias cedidas pelo Município de Vouzela.

Assinado o respectivo Contrato de Comparticipação Financeira com o Instituto da Segurança Social, a empreitada de construção civil foi posta a concurso em 17 de Fevereiro de 2009. Foram recebidas sete propostas de empreiteiros que, depois de analisadas por um juri nomeado para o

efeito, deram como resultado a adjudicação da mesma à firma Sociedade de Construções Martins Pereira, Lda., com sede em Pessegueiro do Vouga, pelo valor de 857.077,51 euros.

Este valor corresponde a um financiamento da Segurança Social de 442.200,00 euros e a um investimento com fundos próprios do Centro Social de 414.877,51 euros.

Numa fase posterior será posto a concurso o fornecimento do equipamento móvel, que está orçado em 65.000,00 euros. O custo do projecto foi de 25.000,00 euros, com a comparticipação da Segurança Social em 17.500,00 euros.


Assinatura do Auto de Consignação
Assinado o contrato e o auto de consignação da obra com o empreiteiro, as obras tiveram inicio no dia 18 de Maio de 2009, com a regularização do terreno para a implantação do edifício. Infelizmente deparámos com uma situação que nos veio atrasar substancialmente o calendário de execução. Parte do edifício foi projectado sobre um morro existente no local. Só que a dureza da rocha ali existente era de tal ordem que inviabilizou, ao fim de alguns dias de trabalho, a continuação da desmontagem da mesma com o recurso a meios mecânicos. A solução teria que passar pelo recurso a rebentamentos com explosivos. Só que para esse efeito, o empreiteiro teve que solicitar as respectivas licenças para o uso de fogo, o que, num país como o nosso impregnado de burocracias, estas coisas demoram, demoram, demoram...! Assim, só no final do mês de Agosto chegaram as ditas autorizações.

Foram assim quase quatro meses em que a obra esteve parada. Agora, em meados de Outubro, e após semanas de verdadeiro "tiroteio", este impasse foi finalmente ultrapassado, e já é visível ao longe a grua que foi instalada para servir os trabalhos. O estaleiro está practicamente montado e vedado, as ligações da electricidade e da água também já foram efectuadas, pelo que a obra verdadeiramente dita vai agora arrancar. Esperamos apenas que o S. Pedro seja nosso amigo e nos dê um Inverno ameno, para podermos recuperar o tempo perdido.

Instalação da Grua










Integração 1º Voluntário - Parceria CSC/Banco Local de Voluntariado de Vouzela

Foi ontem (15 de Outubro) que o Centro Social de Campia (CSC) e o Banco Local de Voluntariado de Vouzela (BLVV) se reuniram para definir as condições de integração e acompanhamento do 1º voluntário formado pelo BLVV.
Entre aspectos como a disponibilidade do voluntário e a forma que tomará o acompanhamento institucional àquele, a determinação no sucesso da parceria confirmou-se comum a todas as partes envolvidas. Este será, esperamos, o primeiro passo de uma ambiciosa chamada à cidadania activa a toda a comunidade.
Sempre que possível actualizaremos aqui o desenvolvimento do trabalho do voluntário!

Para quem estiver interessado em saber, conhecer e participar mais, deixamos o link do Banco Local de Voluntariado de Vouzela, uma aposta deste município que conta já com importantes e genuínos contributos de vouzelenses activos!

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Um pouco da nossa história (III)

Do Futuro....


O futuro imediato passa pela continuação e melhoramento dos serviços que prestamos aos nossos utentes. Nessa intenção incluímos a determinação comum em planear mais actividades, para que não nos cinjamos a uma planificação de acções pontuais e sem impacto real na melhoria do dia-a-dia dos nossos utentes.
O futuro a médio prazo será a implantação da nossa sede definitiva.
Só assim poderemos ambicionar a implementação das outras duas valências que nos foram atribuídas e que tanta falta fazem às nossas populações :

A Creche e o Lar de Idosos!
Maqueta do Futuro Lar de Idosos e Creche do Centro Social de Campia





Um pouco da nossa história (II)







Do Presente.....



O presente encontra-nos a prestar serviço de Apoio Domiciliário a 25 utentes.
Ao nível de pessoal temos ao nosso serviço cinco funcionárias, e uma assistente social (a realizar estágio profissional).


Com o surgimento do programa PARES, que irá canalizar verbas dos Jogos da Santa Casa da Misericórdia para financiar projectos sociais nas áreas da Infância e Terceira Idade, resolvemos apresentar uma candidatura ao mesmo, tendo para o efeito mandado elaborar o projecto de construção da nossa sede definitiva, que incluirá um Lar de Idosos, uma creche e o Serviço de Apoio Domiciliário.

Anualmente, há lugar a dois espaços para o encontro entre utentes, funcionários e vários membros dos corpos sociais – um passeio colectivo e um almoço de Natal, oportunidades excelsas de promoção do convívio entre todos e da distribuição de lembranças a todos os utentes.




Almoço de Natal de 2007







Passeio Convívio - Alberca 2008


Passeio Convívio Alberca 2008




Um pouco da nossa história (I)





Do Passado....


O Centro Social de Campia “nasce” a vinte e três de Janeiro de 1999 através da constituição de uma Comissão Instaladora, com vista ao desenvolvimento deste projecto, tendo sido nomeados os seus corpos sociais em Assembleia Geral realizada em vinte e nove de Janeiro de 2000. Aprovados os seus Estatutos em Assembleia Geral realizada no dia 17 de Abril de 1999, foi o Centro Social de Campia oficialmente constituído em vinte e quatro de Junho do mesmo ano. A publicação definitiva em Diário da República foi efectuada em 24 de Janeiro de 2001.
Entretanto, e após a caracterização pela Segurança Social do nosso projecto e atendendo à área em que se inseria, foram-nos atribuídas as seguintes valências:

- Apoio Domiciliário – 30 utentes;
- Creche –33 utentes;
- Lar de Idosos – 20 Utentes.

Para a implantação física do Centro eram necessárias instalações e, para o efeito, a Junta de Freguesia de Campia fez a doação de um lote de terreno, com uma área de cerca de 9.000 m2, situado no Cabeço da Pereira, em Campia. Infelizmente, cerca de catorze anos depois esse loteamento continuava por realizar, tendo sido reprovado por duas vezes consecutivas.

Em treze de Julho de 2002, após o pedido de demissão da Direcção em exercício, realizam-se novas eleições tendo a única lista concorrente tomado a seu cargo os destinos do Centro Social de Campia.

Tendo tomado como meta a implementação do serviço de Apoio Domiciliário no prazo de um ano, conseguiu-se da Câmara Municipal de Vouzela a cedência de um edifício para albergar provisoriamente a sede do Centro.

Após a atribuição de um subsídio do Ministério da Segurança Social para a compra de equipamento e de uma viatura, iniciaram-se as obras de adaptação do edifício para a instalação da cozinha e lavandaria que iriam servir de apoio à nossa actividade.

Faltava só conseguir que a Direcção Regional de Viseu da Segurança Social assinasse o protocolo para podermos iniciar aquilo a que nos tínhamos proposto – o serviço regular de Apoio Domiciliário aos idosos e carenciados da nossa freguesia.

E o tão desejado dia concretizou-se em vinte e nove de Setembro de 2003 , por sinal o dia do nosso padroeiro, Arcanjo S. Miguel, com a assinatura nas nossas instalações do protocolo para a assistência a 10 utentes, na presença do senhor Director Regional da Segurança Social, doutor Leonel Carvalho e do senhor Presidente do Município de Vouzela, doutor Telmo Antunes.
Assinatura Protocolo com Segurança Social



No dia 1 de Outubro de 2003 iniciou-se então o Apoio Domiciliário a quatro utentes, tendo atingido o final do mês já com sete. Para este serviço foram contratadas três funcionárias.

Em Outubro de 2004, fruto de um protocolo assinado com o Município de Vouzela, adquirimos uma 2ª. viatura, esta de nove lugares, destinada ao transporte dos alunos do 1º. Ciclo da EBI de Campia, e ao reforço e melhoramento do serviço de Apoio Domiciliário.

Entrava-se assim na rota normal de funcionamento que nos haveria de conduzir ao presente.


Quem somos?


O Centro Social de Campia (CSC) é uma Instituição Particular de Solidariedade Social, com sede na freguesia de Campia, do concelho de Vouzela.



O Núcleo Fundador do Centro Social de Campia
As instalações actuais do Centro Social de Campia

Onde estamos?

Em terras serranas, bem no Centro do país, o CSC encontra na acção social para pessoas idosas e jovens o seu objecto. Abrangendo a freguesia de Campia (ou povoações de freguesias limítrofes que o desejem), o CSC disponibiliza os seus serviços que, de momento, se cingem ao Serviço de Apoio Domiciliário, já que o Lar de Idosos e a Creche do Centro Social de Campia estão ainda em construção.


Porquê?


Desde o crescente envelhecimento da população, ao acentuar de carências, dependências e necessidades próprias dos habitantes do mundo rural, à falta de respostas sociais na freguesia de Campia, as contribuições foram mais que muitas e de naturezas distintas, para que, da determinação na mudança e na resposta às mais variadas situações sociais, se edificasse o CSC. A crença na humanidade dessa mudança esculpiu a equipa que todos os dias, nas suas funções específicas, ajuda a consolidar os princípios fundadores do CSC.
Já no discurso de inauguração do CSC estava bem patente a intencionalidade de um projecto desta ambição – o colmatar ou a diminuição das dificuldades com que lutam as pessoas carenciadas da freguesia, o suporte àqueles que viram a migração levar-lhes os familiares que os poderiam acompanhar, o complemento daquilo que é a actuação do Estado na área da solidariedade social – o envidar de todos os esforços para dotar Campia de uma necessária rede mínima de solidariedade social.


Como?


Estando o CSC de momento, limitado à prestação de Serviço de Apoio Domiciliário (SAD), este abrange os seguintes serviços:
a) Confecção das refeições a fornecer aos utentes na cozinha do CSC;
b) Tratamento de roupas dos utentes na lavandaria do CSC;
c) Distribuição ao domicílio das refeições confeccionadas no CSC assim como das roupas recolhidas para tratamento;
d) Higiene pessoal dos utentes;
e) Limpeza e arrumos no domicílio dos utentes;
f) Acompanhamento dos utentes a consultas de saúde e em caso de urgência.
g) Participação em actividades culturais e sociais promovidas pelo CSC

Onde actuamos?

Sendo uma das maiores freguesias da Região, o trabalho do CSC é desenvolvido em dez povoações (de momento), a nomear: Cercosa, Rebordinho, Albitelhe, Campia, Cambarinho, Fiais, Covelo, Adside, Sobreiro e Crasto de Campia.



Por quem?

O CSC tem de momento, 25 utentes distribuídos por toda a freguesia, entre os quais 12 homens e 13 mulheres, com idades que vão desde os 64 aos 98 anos de idade. Todos os utentes apresentam, em um ou mais níveis, mazelas das carências que o CSC tenta suprir.


Órgãos Sociais

Direcção

Presidente – António Mário de Almeida
Vice-Presidente – Luis Almeida Coutinho Bastos
Secretário – Maria Rosália de Oliveira Correia
Tesoureiro – José Gonçalves Marques
Vogal – Américo do Carmo Pereira

Assembleia Geral


Presidente – António Santos Ferreira
1º. Secretário – Eduardo Augusto Duarte
2º. Secretário – Arménio José Correia de Almeida

Conselho Fiscal

Presidente – Jorge Dias Serra
Vogais – Virgílio Elisio Lopes Rodrigues
- Arlindo Pereira Martins


Porquê um Blog?


Encontrando-se o Centro Social de Campia no Centro do país, não há motivo para que não esteja também no centro desta nova era, para que não seja, também ele, roda dentada desta grande máquina que é o mundo internauta. Acima das portas que este mundo possa abrir, o CSC quer ser o exemplo concreto de uma atitude de abertura institucional, de uma aposta clara na divulgação daquilo que são as boas práticas e valores vivos inerentes à solidariedade social.
A criação de um blog do CSC oferece também a possibilidade de chegarmos às camadas mais jovens da população e de, assim, darmos um passo fundamental no processo de sensibilização daquelas, para aquilo que são as necessidades da população-alvo do CSC. O apelo à colaboração, à dinamização, à sugestão e ao voluntariado são igualmente nossos objectivos. Esta aposta é também, em si, um dos muitos caminhos a ser trilhados para que o CSC tenha mais vida, mais visibilidade e acima de tudo, mais possibilidades de contaminar outros, com os seus pressupostos de solidariedade social.